Está aí uma coisa que nunca saberei nem compreenderei - do que os humanos são capazes.
-A menina que roubava livros
« 1 2 3 »

[ENEM] Levando em consideração o ódio que sinto por você, calcule a distância da minha mão na sua cara.



Preciso contar uma história meia inusitada. Uma vez, uma pessoa que me seguia aqui no tumblr, gostava muito de ficar olhando atualizações, lendo posts, dava likes e reblogava muito. Até que um dia desses qualquer, ela viu um post meio grandinho rolando em sua dash e se interessou por ele, não só se interessou por ele como resolveu ler, não só resolveu ler como está lendo ainda, porque tipo, ela quer ler o final porque ela é bastante curiosa, talvez ela esteja rindo agora ou tenha se arrependido de ter começado a ler, mas mesmo assim ela vai terminar de ler, porque no final desse post, tem uma mensagem que ela talvez precise ouvir, não é atoa que você está lendo esse post, pode parecer bobo, mas eu só queria que você soubesse o quanto eu fico feliz por ter você entre os meus seguidores, muito obrigado.



“É possível amar muito alguém, ele pensou. Mas o tamanho do seu amor por uma pessoa nunca vai ser páreo para o tamanho da saudade que você vai sentir dela.”
~ O Teorema Katherine.    (via promessasvazias)

Tenho medo de ser esquecido. Tenho medo disso como um cego tem medo do escuro.

~ A Culpa É Das Estrelas. (via fixierung)

“Eu passei a ver o mundo de outra maneira. E não foi ele que mudou, fui eu.”
~ Cabana dos Sonhos.  (via virtuarei)

“Eu sabia que ia desequilibrar meu mundo. O cérebro avisou - e o coração não quis seguir o conselho.”
~ Paulo Coelho.  (via promessasvazias)


“Todos deveriam ter um lugar favorito no universo, um lugar que dê a sensação de que você vai escapar do que for, de seja lá o que você está sentindo. Aquele lugar onde as pessoas de quem você gosta vão te procurar quando você provavelmente sumiu por não aguentar a barra, como acontece no cinema, quando os personagens estão perdidos, prostrados ou loucos de amor.”
~ Gabito Nunes. (via indeferindo)

1-PEQUENOPOETA ©